Mulher & Maternidade Reflexões

A maternidade transforma, mas não toca a essência

2 de setembro de 2016

Sou mãe e ao me fazer mãe, não passei a me tornar uma pessoa diferente da que sou; nem melhor, nem pior.

Tanto se ouve que a maternidade modifica que comecei a analisar o que seria mudança e o que seria transformação.

Não acredito que a maternidade possa moderar uma pessoa. Seus valores se mantêm intocáveis, porém o instinto materno se aflora e você passa a ver a vida por outro ângulo, mas sem comedir a tua essência.

Acredito que ser mãe te transforma e te remonta àquilo que você sempre foi ou queria ser e que, talvez, nunca tenha precisado ser até se tornar mãe com todos os cuidados que são necessários a partir de então.

dondellion

A transformação vem através das experiências, da vontade de buscar o melhor de si, de encontrar a forma correta para se relacionar com seu filho.

A maternidade é como um resgate de si. Traz à tona seus escondidos antes inexplorados.

Aquela criança no farol pedindo esmola que não te despertava com intensidade, hoje te faz chorar, te faz refletir e colocar-se na condição de responsável . Te faz chorar não porque você virou alguém mais bondosa, mas, sim, porque você, sem pensar, associa aquela situação à sua cria.

A experiência desse amor imenso e incondicional te permeia em formas diferentes de enxergar a vida com mais lucidez e até mais austeridade em relação ao modelo de educação que você tinha como paradigma. Te remete à diferença de outros tempos em que a sua vida se resumia num mundo mais liberto a tudo.

Essa transformação, com certeza, encontra força motriz no amor; mas ela é só o possível quando se permite aprender com todas essas novas experiências que uma criança traz para nossas vidas quando você se predispõe a explorar esse novo universo.

É como se te virassem ao avesso. Um avesso que parece fazer todo o sentido e ser o lado mais apropriado. Seus olhos se abrem para um panorama diferente e você se pergunta: como não vi isso antes? Na verdade, isso que você alega nunca ter visto, sempre esteve ali. Você olhava, mas não enxergava.

Percebe que o avesso nada mais é que um outro lado, mas que você continua sendo a mesma pessoa?

Por isso entendo que não somos modificados quando nos tornamos mães, mas sim passamos a buscar a reinvenção, analisamos como podemos ser melhores. A transformação é um processo, é uma escolha que fazemos para esse amor incondicional, que é ser mãe, possa ser vivido plenamente.

 

You Might Also Like

1 Comentário

  • Aline Jeronimo
    Responder Aline Jeronimo 2 de setembro de 2016 em 20:41

    Sim,só o cabelo

  • Deixe um Comentário

    ❣ Tem um site? Escolha um de seus últimos posts para aparecer após seu comentário!
    %d blogueiros gostam disto: