Receitas

Caipirinha de tomate: você Shippa? Vamos à receita…

9 de dezembro de 2019

tomate

Mesmo se você não é lá muito fã do tomate, a combinação da fruta com bebida alcoólica fica deliciosa e não é de hoje que o tomate brilha nos drinks! Diga lá os amantes do bloody mary. O adocicado do tomate cereja harmoniza superbem com a cana de açúcar da cachaça e confere um sabor leve à bebida.

Com a vodca a mistura fica mais encorpada e douceur da fruta traz a leveza que faltava. E aí? Vai testar? Uma dica: Fica lindo e descolado servir em vidros reaproveitados de conservas!

Vamos de receitinha?

Caipirinha de Tomate

Por: Chef Melchior Neto

INGREGIENTES

  • 6 tomates cereja
  • 1/2 limão
  • 4 folhas de manjericão
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 50 ml de vodca ou cachaça
  • Gelo picado

PREPARO

Coloque os tomates no copo, o manjericão, esprema meio limão e macere com açúcar. Gelo picado até a borda do copo, complete com a bebida.

Mexe bem e divirta-se!

11 Curiosidades sobre o tomate segundo a revista Globo Rural

1- É uma fruta
Muitos acham que o tomate é um legume por fazer parte da salada, mas ele é uma hortaliça do tipo fruta, mesmo sem o sabor doce. “Essa é uma confusão bastante comum”, diz Boiteux. Isso porque o tomateiro é uma planta fanerógama, com flor, angiosperma (quando as sementes são protegidas por uma “bolsa”).

2- É bastante nutritivo

O tomate tipico (de coloracao vermelha) é rico em acido ascórbico (vitamina C). Também fornece pro-vitamina A (em pequenas concentracoes). É uma boa fonte de vitaminas do complexo B e dos minerais cálcio e potássio.

3- Pode evitar alguns tipos de câncer
Por ser rico em carotenóide licopeno (que confere a cor vermelha tipica dos frutos), o tomate tem propriedades que evitam o desenvolvimento de diversos tipos de câncer. “Esse carotenóide é um potente antioxidante, tendo envolvimento demonstrado na redução na incidência de câncer de próstata, ovário e na redução de doenças cardiovasculares”, explica o pesquisador.

Apesar de ser popular na Itália, o tomate não é originário da Europa, e sim das Américas. De acordo com o pesquisador da Embrapa, “o tomateiro é nativo da região Andina, englobando o Peru, Norte do Chile, Equador (incluindo as Ilhas Galapagos)”.

5- Demorou para chegar à Europa
Apesar da fama dos molhos italianos, o tomate só chegou à Europa no século XVI. E no início, eles não eram comidos, mas usados como decoração nas mesas de banquetes. Os italianos foram os primeiros a usar tomate como comida. Por lá, chamaram a fruta de “pomo d’oro” (pomo de ouro), que também deu origem ao nome da receita de molho de tomate pomodoro.

6- O Brasil cultiva quase todas as variedades
A produção brasileira de tomates abrange quase todas as variedades da fruta. “Os tipos mais populares são os tomates caqui (longa-vida ou convencional), tomate Santa Cruz/Santa Clara/Débora, tomate Italiano ou Saladette, tomate mesa rasteiro e tomate industrial, tomate cereja e tomate grape”, conta o pesquisador. “As principais diferenças estão no formato e tamanho dos frutos,  e como eles são cultivados (com estacas, todos os grupos) ou rasteiros (tomate mesa rasteiro e tomate industrial)”.

7- Existem tomates mais indicados para molhos ou saladas
Na hora de escolher qual tomate comprar, leve em consideração que alguns tipos são melhores para molhos, in natura nas saladas ou outros usos. Leonardo Boiteux explica:
Tomate caqui (longa-vida ou convencional): consumo in natura
Tomate Santa Cruz/Santa Clara/Débora: consumo in natura e molhos caseiros
Tomate italiano/saladette: consumo in natura, molhos caseiros e tomate seco
Tomate mesa rasteiro e tomateiro industrial: consumo in natura, molhos caseiros, extratos, ketchup
Tomates cereja e grape: consumo in natura

Gostou?

Leia também REFEIÇÕES DIVERTIDAS E LÚDICAS – 15 INSPIRAÇÕES PARA VOCÊ FAZER COM A CRIANÇADA

You Might Also Like

Nenhum Comentário

Comente! Sua opinião é muito importante!

%d blogueiros gostam disto: